Categoria: CakePHP

É difícil dizer o quanto é aposte bet bom trabalhar com CakePHP. Na verdade, tecnicamente é muito fácil. Qualquer pessoa que já estudou Orientação a Objeto, Padrões de Projeto e padrões arquiteturais de Software sabe o quanto é insano desenvolver isso “na unha”. (Já tinha falado isso antes.)

Mas se eu fosse explicar para um leigo, como seria? Programar com o Cake é como assistir TV a Cabo. Você nunca mais cogitar a possibilidade de assitir TV Aberta. Ou usar internet Banda Larga, você nunca mais na sua vida vai querer se quer escutar aqueles modens barulhentos para conectar discado.

Vou falar um pouco das maravilhas do CakePKP, e vou assumir que você já entende algumas coisas, como MVC, tenha noções de Orientação a Objeto.

Persistencia de Banco

Programar usando o Cake é parar de bete esporte reinventar a roda. Ele já faz toda a parte de persistência do banco, limitando você a usar métodos assessores como save(), del(), edit(). Prepare-se para não ver mais nenhuma query SQL.
O próprio framework permite que você use vários SGDBs, ou seja, se por algum motivo você precisar mudar de banco de dados, você não precisará reescrever o programa. é só mudar o driver de banco.

Orientação a Objeto / MVC

Bom, o PHP é Orientado a Objeto, mas quem entende um pouco mais sobre OO sabe que o PHP peca em alguns aspectos, como por exemplo sobrecarga e sobreposição de métodos. Deixando a cargo do desenvolvedor implementar códigos que emulem o conceito.

O CakePHP já faz o trabalho chato para nós. Dificilmente precisaremos fazer isso. Mas se você for implementar alguma coisa bem exótica, os desenvolvedores deixaram o ambiente preparado para emular essas limitações do PHP. (Pelo menos as que eu precisei). :-)

Mas, como nem tudo são flores, aposta esportivas Ainda tem alguns aspectos que precisam melhorar. O Cake é um framework que se baseia totalmente no banco de dados. E para explorar alguns recursos é preciso seguir a risca suas convenções. Isso é bom, mas nem tudo do modelo ER as convenções do Cake suportam. Por exemplo Agregações e Disjunções.

Components

Nossos controllers estão bem assessorados. No CakePHP existem Componentes que automatizam uma série de tarefas, como trabalhar com Autenticação, Cookies, Sessões, E-mails, entre outros. Sem falar que você pode criar seus próprios Components.

Helpers

Os helpers são “classes” que auxiliam na construção das views. Já existem alguns helpers padrões que auxiliam em vários trabalhos chatos como Paginação, Ajax, Javascript, Formulários, Html, e até RSS e XML. E assim como os components, você pode criar seu próprio Helper.

Nossas classes de modelo

Já que a persistência do banco é implícito no cakePHP, o que nos resta a fazer são as validações dos dados que vão para o banco de dados e as associações entre os models. Que são facilmente feitos através dos atributos $validate e os atributos de associação $hasMany, $hasOne, $belongsTo e $hasAndBelongsToMany

Usando o Bake

Se já não fosse maravilhoso tudo isso que o CakePHP faz por nós, eles disponibilizam o Bake um script que gera todos os modelos, controllers e views. para nós. Através do bake você pode validar todos os campos das classes de modelo, fazer todas as associações entre classes, criar todos os métodos das classes de controle, e todas as views para esses métodos. Sem você digitar nenhuma linha de código.

Lógico que a aplicação não vai estar pronta, ainda vai precisar fazer vários ajustes de layout, tirar alguns campos, tirar métodos, alterar várias coisas. Mas você já vai ter um protótipo funcional da sua aplicação com menos de uma hora de trabalho.

Bom pessoal, é isso. No próximo post, vamos instalar o Cake e vamos brincar um pouco com ele :-)

Sempre tive uma quedinha pela Web. É uma coisa que sempre me fascinou e faço questão de acompanhar de perto as tendenciais. Sempre procurei formas de melhorar minha produtividade ao desenvolver qualquer trabalho. E nessa busca de produtividade conheci os padrões web, aprendi os conceitos de programação orientada a objeto, design pattern, etc.

De uns tempos para cá procurava um framework que agilizasse meu trabalho em desenvolver códigos em PHP. Quem já escreveu uma classe de modelo (no padrão MVC) sabe o que estou falando. Escrever todos os atributos, gets e Setters, Construtores, métodos, querys SQL, validações, não é fácil. Quer dizer, na verdade não é difícil, mas acabamos perdendo muito tempo debugando a aplicação. E como diz o velho ditado: tempo é dinheiro.

Conheci a pouco tempo atrás o CakePHP. Um framework baseado na arquitetura MVC que me deixou fascinado. Eu sei que existem vários frameworks, como Rails e Django. Minha escolha pelo PHP foi por um fator muito simples: popularidade. Se eu quero desenvolver uma aplicação e quero que ela seja amplamente utilizada no mercado ela tem que executar em um ambiente popular. E o PHP roda em qualquer servidor Web :-)

Estou criando a categoria CakePHP aqui no site, para escrever tudo que estou aprendendo nesse framework.

Espero que vocês gostem :-)

 

rss twitter linux contato

livros interessantes

Publicidade